Vale a pena investir no Bitcoin?

Vale a pena investir no Bitcoin?

Nos últimos dias, a questão de se vale a pena investir em bitcoin foi um dos assuntos mais comentados não só no mundo da tecnologia, mas também em outros campos “incomuns”, como economia, política e – acredite!- saúde. A economia é, dos três campos citados acima como não tão comuns, o que mais tem a ver com a questão, já que Bitcoin é uma moeda virtual, mas que tem realizado transações reais. No campo da política, o buraco é mais embaixo, pois ela é, provavelmente, o empecilho que tem barrado os avanços para que o Bitcoin possa ganhar mais espaço, mercado e, consequentemente, aceitação. E, no campo que mais gerou espanto, na saúde, o assunto “investir em bitcoin” está mais pra causa de um mal do que uma consequência ou sintomas de enfermidades. Isso porque profissionais da saúde tem alertado que o terreno monetário em que o bitcoin está instalado é movediço, isto é, não prima por solidez e segurança. Nesse caso, foi alertado a ciência dos investimentos, já que, de um dia pro outro, o milionário pode ver sua fortuna acabar, levando a pessoa à problemas graves de saúde. Quais são as vantagens de se investir em bitcoin? Há inúmeras “correntes” que determinam o por quê do investidor apostar e investir no bitcoin. Dentre elas, uma das que mais agradam é a questão da segurança, já que o “forte” dessa moeda é questão de que, para obtê-la ou conseguir realizar a transação, é necessário quebrar milhões de códigos, o que você já deve conhecer como criptografia. Outro motivo que enche os olhos dos investidores ou mineradores (pessoas que...
Black Mirror, espelho da nossa vida.

Black Mirror, espelho da nossa vida.

Black Mirror é, até o momento, a série que mais rendeu dinheiro (e assuntos!) à NetFlix. Você pode ter estranhado a frase anterior, o que é compreensível. Mas vamos explicar: esse dado é baseado em uma pesquisa mundial. Por isso, não foram considerados só dados colhidos no Brasil. Mas, caso fossem contabilizados só os números do nosso País, o resultado mudaria: Black Mirror perderia para Stranger Things. Black Mirror, em uma tradução direta e livre, quer dizer “Espelho Preto” ou, se achar mais harmônico, “Espelho Negro”. Agora, o por quê de estarmos abordando uma série da NetFlix? Bom, se você acompanha essa série, já tem ideia; se não, vai entender. O que é Black Mirror? Como já dissemos: se você já assiste, desconsidere este tópico. O papo é com você que não acompanha ou nem faz ideia do que se trata. Com um enrendo envolvente, essa série é fenômeno mundial.  O que justifica tal sucesso é um roteiro bem estruturado e o melhor (ou pior?): é no melhor estilo “a vida como ela é”. Queremos dizer que Black Mirror é todo pensado e realizado com situações em que a ficção e a realidade ficam próximas ou, na maioria das vezes, dividem o mesmo “corpo”. Em seu primeiro episódio, a série mostra, de forma que beira o brilhantismo, dois assuntos delicados e pouco falados: a submissão às máquinas e falta de noção. Isso porque uma princesa da Inglaterra é raptada e a exigência do sequestrador é estranha (e chocante!): o 1º ministro tem que fazer sexo com uma porca. Após diversas tentativas de evitar o pior, para o ministro e...
Tecnologia na medicina

Tecnologia na medicina

Segundo cientistas, a pessoa que viverá 150 anos já nasceu (há quem diga que é possível chegar aos 220!!!!) e isso será possível graças à tecnologia na medicina. Essa união divide as pessoas desde os primórdios. Há quem ache que a tecnologia soma e auxilia na cura das doenças; há quem afirme que a tecnologia é a responsável pelo surgimento de doenças mais fortes e letais. E, no meio desse embate, pesquisas ao redor do mundo são realizadas e apresentam novos resultados todos os dias. Por isso, não é raro você ligar a televisão ou ler o jornal e encontrar notícias de que um grupo de pesquisadores descobriram como combater determinada doença ou que, por um deslize, um vírus novo escapou dos laboratórios e pode colocar toda uma população em risco. Tecnologia na medicina é o nosso tema de hoje. Dê uma olhada em 2 casos em que a tecnologia ajudou e em outros 2 em que a tecnologia na medicina foi culpada por colocar os habitantes da Terra em pânico. Casos que a tecnologia na medicina deu certo   Rapidez e assertividade nos exames   Para que você tenha uma ideia, nos anos 40, o resultado de um exame de sangue demorava, em média, 2 semanas para ficar pronto. Além da demora, o resultado tinha uma margem de erro de até 20%. Por isso, doenças que não tinham sintomas claros eram mais difíceis de serem detectadas. Com o avanço da medicina, além de maior qualidade em exames de raio-x, exames de sangue se tornaram mais assertivos e céleres. Hoje em dia, médicos afirmam que um exame de sangue...
Os pagamentos do futuro

Os pagamentos do futuro

Sobre os pagamentos do futuro, já temos algumas ideias de como serão pagas as nossas contas. Afinal, já há tecnologias que caminham sozinhas ou que estão engatinhando em alta velocidade. Com números cada vez maiores de roubos e furtos nas ruas e estabelecimentos, formas de pagamentos alternativas tem atraído as empresas e pessoas. E outra coisa que atina essa corrida é a discrição, isto é, tornar possível pagamentos com “acessórios”, como: pulseira, relógios e o próprio olho. Nesse artigo, separamos alguns desses pagamentos do futuro para explanar quais as tecnologias por trás de cada um, sua funcionalidade e em quanto tempo fará parte do nosso cotidiano. Pulseiras O que você acha de usar uma pulseira que, além de “estilosa”, é discreta e serve para pagar o seu jantar no fim de semana? Esse “adereço” fez algo que, com o passar dos dias, tem se tornado cada vez mais comum: cientistas e designers dividindo a mesma mesa. Isso se deve ao fato de que uma tecnologia só é bem vista pelo público caso “orne”, isto é, seja prática e que não tenha uma cara de robô quadrado. Por isso, uma das maiores empresas de cartões (crédito e débito) lançou há um certo tempo uma pulseira que, por aproximação, é capaz de efetuar compras. A mecânica é simples: o estabelecimento cria um código que será lido pela pulseira. É a tal da “internet das coisas“.  Relógio Essa tecnologia, assim como a pulseira, foi “apresentada” ao público nas Olimpíadas 2016, no Rio de Janeiro. A mecânica do pagamento é a mesma, já que o segredo também está na pulseira. Como “tudo” já...
Blockchain é o futuro?

Blockchain é o futuro?

Blockchain. Essa é uma palavra estranha, mas é bem provável que você já tenha lido ou escutado falar sobre ela. Se levarmos ao pé da letra, blockchain significa “cadeia de bloqueio”, isto é, um emaranhado de códigos, pra sermos mais claros.   Essa tecnologia já era estudada há muito tempo por pessoas que, além de muito conhecimento, buscavam uma forma de tirar o monopólio dos bancos quando o assunto é dinheiro e transações. Porém, só depois da invenção do Bitcoin, o blockchain começou a ter uma atenção maior das pessoas e dos meios de comunicação. Caso você não saiba ou seja novo aqui, o Bitcoin é uma moeda virtual que é o resultado da mineração. Ou seja, é o pagamento para a máquina que consegue decifrar milhões de códigos em questão de segundos. Para entender melhor sobre o que é, como nasceu e pra que serve essa moeda digital, clique aqui. Voltando ao assunto que fez você clicar nesse artigo, vamos falar melhor sobre a tecnologia que, curiosamente, tem atraído a atenção da principal vítima, quer dizer, dos bancos. O que é Blockchain? O blockchain é, de forma simples e objetiva, um banco de dados diferente dos demais já existentes ou de tudo que você jamais imaginaria. Dinheiro, atualmente, é sua principal “área” de atuação. É possível afirmar a frase acima, pois, com tecnologia avançadíssima e com inteligência para autoconfiguração, esse banco de dados é inviolável. Sim, sabemos que pode parecer muita utopia do mercado ou um exagero nosso. Mas não é! Bom, agora que você já sabe o que é blockchain, está na hora de fazer outra pergunta:...
Tecnologia bélica e a corrida armamentista

Tecnologia bélica e a corrida armamentista

Esse é um assunto que, se possível, nunca teríamos que falar sobre. Mas como a realidade é outra, vamos tentar mostrar o “por quê” de ter abordado esse tema: a tecnologia bélica. “Tá, mas por que falar da tecnologia bélica?” Decidimos abordar esse assunto, já que, por imbecilidades continentais, vivemos em uma espécie de 2ª Guerra Fria – para os mais novos, a guerra citada foi um período em que as potências mundiais (EUA e URSS) ficavam disputando o poder bélico, mas o embate nunca aconteceu – com um detalhe: o poder de destruição é, pesarosamente, maior! As figuras principais dessa história você já deve conhecer: Donald Trump e Kin Jong Un. De um lado, um exemplo de americano “tosco”; do outro, um ser detestável. No fim, os dois são maioria em um quesito: loucura. Bom, agora que já te explicamos e iniciamos a conversa sobre a tecnologia bélica, iremos mostrar algumas das armas mais tecnológicas que já existem e que, em alguns casos, são utilizadas. Ok? Vamos lá! Cell Phone Gun Sabe aqueles celulares antigos, também conhecidos como “tijolão”? Se ver um na rua, é melhor tomar muito cuidado ao tirar sarro da pessoa que está com ele em mãos. Afinal, você pode estar muito errado(a). Há alguns modelos diferentes, mas o “padrão” é o que você pode ver na foto, isto é, com truque no meio e capacidade de até 4 balas.  CornerShot Sabe aquela aflição que você já sentiu quando participou de um paintball com os amigos? Ou aquela aflição dos filmes em que o “bem” troca tiros com o “mal” e ficam espiando um ao...
Página 1 de 2612345...1020...Última »